Papo de motorista

21/10/2019

Os jornalistas Tânia Carvalho e Ivan Mattos com Mauro Castro, autor de “Taxitramas” (Foto: Bruna Castro/Divulgação)

 

  • O motorista e autor do livro “Taxitramas”, Mauro Castro, foi o entrevistado da última semana por Tânia Carvalho e Ivan Mattos, no encontro do Café no Ling. Além de histórias divertidas, Mauro revelou que a influência do escritor Caio Fernando Abreu, a quem transportava no período final de sua vida, determinou dedicar-se ao texto que publicou.
     

  • Usuário de táxis e Ubers, desde a ocasião em que desisti de dirigir, tenho um saldo muito agradável das conversas com motoristas. Uma delas, no período do final da década de 1960 e início de 1970, em Paris, quando o taxista me surpreendeu com o questionamento: “Não acha um erro a estrada transamazônica que está sendo aberta pelo presidente Médici? A mim, preocupa muito.” Noutra ocasião, desembarcando em viagem de férias em Washington D.C., tomei um táxi dirigido por um colombiano, que rapidamente identificou meu sotaque brasileiro, passando a falar português. Ao saber da minha origem gaúcha, relatou-me temas da política nos pampas e seus governadores. Logo descobri seu trabalho anterior: funcionário da CIA a serviço no Brasil. Sem dúvida, uma trama de filme de espionagem...
     

  • Na última semana, duas viagens de Uber me atualizaram em dois temas que me entusiasmam. Na primeira delas, o motorista Luiz Carlos Alves, entusiasta com as criações de cães, que se dedica à raça Boston Terrier, presenteou-me com o jornal Guri, edição do Kennel Clube RS. Tive oportunidade de ler o artigo do presidente do clube, Pedro Armando Ramos Lang, comentando os 75 anos do Kennel, que serão comemorados em março de 2020.
     

  • Pouco depois, o motorista Dinho Rejane me proporcionou outro momento prazeroso, ao me botar a par do feito de outro membro do clã Gasparotto: o primo Johnny Gasparotto é exímio no skate e estava disputando uma prova em Canoas. Um dos meus sonhos atuais é a pratica de skate e o feito do parente me fez exultar.
     

  • Continuando a conversa com Dinho, disse ele que considerava absurda uma das proposições de um dos aplicativos de transporte que possibilita ao passageiro a opção de não manter conversa com o motorista. O parceiro da viagem me relatou um fato ocorrido com ele, ao transportar outro viajante a quem ele se dirigiu e ouviu a resposta: ”Por favor, não falo com desconhecidos”. Dinho, desagradavelmente surpreendido com a grosseira prepotência, respondeu prontamente: “Por favor, desça do meu carro, pois não transporto desconhecidos...” Portanto, um bate-papo com novidades e humor. Valorizam os táxis e o Uber.

 

Motorista de histórias: Mauro Castro durante bate-papo do Café no Ling (Foto: Bruna Castro/Divulgação)

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Arte de degustar

November 15, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes

November 15, 2019

November 15, 2019

November 15, 2019

November 15, 2019

November 13, 2019

November 13, 2019

November 13, 2019

November 13, 2019

November 11, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags